Cicloviagem pelo Vale Europeu – Uma Viagem, Um Sonho…

A primeira vez que ouvimos falar sobre o Circuito do Vale Europeu foi em um passeio noturno de bicicleta em São Paulo. Enquanto aguardávamos a saída do pedal, jogamos conversa fora com um senhor que também estava alí para pedalar e ele acabou comentando sobre o tal “Vale Europeu” em Santa Catarina. De imediato gostamos da idéia de podermos viajar de bicicleta e decidimos que esta seria nossa viagem de férias de 2010.

No caso desta viagem, tínhamos a idéia e o desejo de fazer o circuito, mas não tínhamos todos os equipamentos necessários nem a experiência para uma viagem de 7 dias de bike. Para dizer a verdade, o principal preparativo nosso antes da nossa viagem foi a compra de novas bicicletas. Foi o presente de aniversário da Jú (2010), pois a muito queria comprar bicicletas mais modernas e adaptadas aos nossos tamanhos. Sim, bicicleta tem tamanho P, M e G e faz muita diferença ter a bicicleta adequada para o seu tamanho… mas enfim…

Saímos em busca de informações e encontramos muita coisa no site oficial do Circuito (www.circuitovaleeuropeu.com.br). Realmente, a turma que montou o circuito fez um trabalho excelente para preparar ao máximo os visitantes que desejam viajar para lá. Mesmo assim, sentimos falta de informações sobre os locais onde poderíamos nos hospedar e detalhes sobre o caminho, rota, fotos do caminho, etc…

O Circuito Vale Europeu é resultado de um consórcio entre 09 prefeituras por onde passa o caminho. O circuito foi pensado tanto para cicloturistas, como para mochileiros, com rotas diferentes.

A parte do Circuito voltado ao cicloturista tem um total de 300km de extensão e foi pensado para ser feito em 7 dias inteiros de pedal. O início do percurso é no Município de Timbó, mais precisamente, nos fundos do Restaurante Thapyoka, no centro da cidade. As três primeiras etapas do Circuito (Timbó – Pomerode / Pomerode – Indaial / Indaial – Rodeio) são denominadas de parte baixa, pois é o trecho do circuito mais plano e com menores aclives. A partir de Rodeio, inicia-se a parte alta do circuito, ou seja, a parte de Serras. A partir de Rodeio, passando pela Cachoeira do Zinco, Dr. Pedrinho, Alto Cedros até Palmeiras são praticamente dias inteiros de muitos aclives bem acentuados. Somente o último dia é para lavar a alma, com cerca de 25km de descidas bem legais e o restante do percurso segue mais ou menos plano (Nota: não seguimos o percurso original no último dia para evitar o que seria a pior subida de todo o percurso. Ver detalhes no post dedicado a esta etapa do nosso percurso).

Em relação à hospedagem, acabamos utilizando a lista disponível no site do Circuito. Neste sentido, o que mais sentimos falta foi de informações, imagens e detalhes sobre as pousadas disponíveis ao longo do caminho. Quase nenhuma das pousadas listadas tem site ou qualquer referência na internet, outras, enfrentamos dificuldades para contato.

No geral, a qualidade das acomodações e seus preços variaram bastante. Nossa diária mais barata foi em Indaial, com um custo de R$ 70,00 o casal com café da manhã. Já o preço mais alto foi na Pousada do Zinco, onde desembolsamos R$ 190,00, com lanche da tarde, jantar, café da manhã, lanche para viagem e bebidas, tudo incluso.

Uma dica importante é para que tomem cuidado com a água da região. Ela é de excelente qualidade, mas bastante carregada em minerais, ou seja, para nós urbanóides acostumados com água mineral engarrafada, foi bastante complicado em termos “intestinais”… Pena só termos descoberto no quarto dia de nossa viagem que a água estava nos fazendo mal. Passamos a tomar apenas água mineral e não tivemos mais problemas desta natureza.

Portanto, fica a dica: Evite a água natural da região se não estiver acostumado. Se precisar tome, mas depois sofrerá as conseqüências…

Em relação ao nosso percurso, por conta de uma Etapa do Circuito nacional de Vôlei que estava acontecendo em Pomerode, não conseguimos hospedagem nesta cidade. Assim, tivemos que pular os dois primeiros trechos do percurso original (Timbó – Pomerode / Pomerode – Indaial). Portanto, começamos nosso percurso no que seria a terceira etapa do circuito disponível no site. Por conta desta redução do percurso original, fizemos algumas alterações em nosso plano de viagem que acabou com 6 dias de viagem divididos da seguinte forma:

1º Dia – Indaial / Rodeio: ~35km

2º Dia – Rodeio / Estrada do Zinco (Cachoeira do Zinco): ~35km

3º Dia – Estrada do Zinco / Dr. Pedrinho: ~43km

4º Dia – Dr. Pedrinho / Alto Cedros: ~43km

5º Dia – Alto Cedros / Palmeiras: ~41km

6º Dia – Palmeiras / Indaial: ~64km

Para saber mais sobre o que rolou na viagem, veja nosso diário clicando nos dias acima…

Explore posts in the same categories: Viagens

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: